Sendo um concelho de reduzida dimensão, é contudo um dos mais ricos da Região de Turismo da Serra do Marão. Isso deve-se, sem dúvida, à cultura intensiva da vinha, com produção de vinhos de mesa e generosos de elevada qualidade.

A vinha, disposta por terrenos acidentados, proporciona um espectáculo inolvidável. Quem, por Junho ou Julho, viaja de Vila Real, logo adiante da Cumeeira depara com um vale de um viço arrebatador, disciplinado pela geometria dos geios. Se a viagem é no Outono, muda apenas a cor: o verde faz-se castanho, amarelo, vermelho.

O nome Penaguião, explicado fantasiosamente pelo povo, deve estar relacionado com algum penedo ou mesmo castro, já que são vários os vestígios deste género, que provam a ocupação humana pré-histórica. A romanização deixou também vestígios. A Idade Média está representada por um pelourinho na sede do concelho.

É do séc. XVIII o maior número de edifícios de valor arquitectónico: a Igreja da Cumeeira, por exemplo, de proporções avantajadas, possivelmente obra do italiano Nicolau Nasoni, autor indubitável das pinturas das paredes e do tecto, que aliás assinou.

O altar-mor e o arco-cruzeiro são em talha, da mais exuberante que o barroco joanino deixou nestas paragens. São também do séc. XVIII a maioria dos belos solares e casas armoriadas do concelho.

Mas o maior atractivo do concelho é mesmo o vinho. Uma visita a qualquer das escuras adegas de quinta onde envelhecem vinhos sublimes e onde sempre se pode provar algum néctar é um momento tão exaltante como uma visita a uma catedral.

As formas de artesanato mais importantes são as que se relacionam com a vinicultura: a cestaria e a tanoaria. A par disso, há interessantes trabalhos em tapeçaria, rendas e bordados.

Para os que buscam o autêntico da cultura popular fica uma última nota. Na povoação de Carvalhais, já bem no limiar do Marão, existe um "toque", isto é, uma tuna. Os músicos tocam cordofones e algumas madeiras. Ouvi-los tocar, no seu habitat natural, as velhas melodias do seu reportório pode ser uma experiência inolvidável.